Notícias

NOVEMBRO AZUL - Depois dos 40 anos, homens devem consultar um urologista com regularidade

06/11/2017

Novembro Azul é uma campanha anual e internacional de prevenção ao câncer de próstata – o mais comum entre os homens, com exceção do câncer de pele não-melanoma. No Brasil, em 2016, foram registrados mais de 60 mil casos da doença. Na opinião do médico urologista Arnaldo Cividanes, diretor técnico do Hospital SAHA, em São Paulo, depois dos 40 anos os homens deveriam consultar seu médico urologista com mais regularidade. Não só por conta do câncer de próstata, mas para prevenir ou tratar problemas que ocorrem com mais frequência a partir dessa fase da vida.

“Aos 40 anos, muitos homens estão focados em atingir a maturidade profissional e dar mais atenção à família. Geralmente, sua preocupação com a saúde está mais associada a como perder aquele pneuzinho ao redor da cintura. Mas é bem a partir dessa idade que talvez tenham de lidar com problemas urinários, sexuais e ainda com o aumento da próstata. Muitos resistem à ideia, mas é fato que contar com o acompanhamento de um especialista torna a vida melhor”, diz Cividanes.

O médico explica que, a partir dessa idade, questões relacionadas à qualidade de vida passam a ser mais relevantes. “A vida sexual e a saúde da próstata começam a ocupar um lugar de destaque nas preocupações masculinas – que podem ser minimizadas com o devido acompanhamento. O paciente passa a ter dificuldade para urinar ou, ao contrário, pode estar percebendo que vai muitas vezes mais ao banheiro do que antes, e não é uma questão apenas de ansiedade. Esse é um dos sintomas de próstata aumentada, que pode ser tratado com medicamentos que melhoram significativamente os sintomas e, principalmente, preservam a saúde de bexiga. Em determinados casos, um procedimento minimamente invasivo pode ser realizado para reduzir o tamanho da próstata”.

Segundo o médico, mais perto dos 50 anos os homens também podem começar a se queixar de queda na libido, acompanhada ou não de disfunção erétil. Apesar de não ser um problema físico, o urologista geralmente solicita um exame de sangue para checar os hormônios masculinos e indicar reposição hormonal, quando necessário, ou ainda medicamentos para aumentar o fluxo sanguíneo e facilitar a relação sexual.

Depois dos 50 anos, o câncer de próstata deve ser preocupação real

Ao chegar à meia-idade, o câncer de próstata deve ser uma preocupação real e os homens têm de começar a se consultar pelo menos uma vez ao ano com um urologista para fazer os exames preventivos necessários – exame clínico de toque e exame de sangue para checar o nível de PSA. Arnaldo Cividanes afirma que, na maioria dos casos, o câncer de próstata tem evolução lenta e demora alguns anos para a próstata ganhar um volume significativo – que seja detectável num simples exame clínico. Entretanto, alguns casos são mais agressivos e requerem tratamento imediato. “O check-up anual é fundamental para se detectar um câncer de próstata em estágio inicial (quando ele ainda está confinado à glândula prostática e não se espalhou para outros órgãos), sendo que a chance de cura atinge mais de 80%, nesses casos”.

Segundo o médico, homens que têm parentes diretos (pai e irmãos) que já tiveram câncer de próstata estão duas vezes mais propensos à doença. Mas há outros fatores de risco que precisam ser levados em conta também. “Quem está acima do peso ou é obeso, bem como quem tem uma alimentação com muita gordura ou carboidratos processados, também está mais exposto a esse tipo de câncer, em sua forma agressiva. Vale dizer que somente o exame de PSA e o exame de toque não são suficientes para diagnosticar o câncer de próstata. Quando os dois primeiros indicam uma possibilidade, é a biópsia que vai apontar a existência ou não do tumor, como também quão agressivo ele pode ser”.

Fonte: Dr. Arnaldo Cividanes, médico urologista e diretor técnico do Hospital SAHA, em São Paulo – www.hospitalsaha.com.br

 

Rua José Comparato, 85 ‐ Vila Mariana ‐ 01546-070 ‐ São Paulo ‐ SP

(55-11) 2894.9976

contato@presspagina.com.br